A História da Moça do Chapéu.

Sou Day, uma mulher de 32 anos, casada e mãe de um lindo bebê garotinho de quase 3 anos de idade. Formada em Direito e trabalhando no serviço público há mais de 13 anos.

Posso lhes dizer que levava um vida relativamente comum e feliz até que um belo dia, em dezembro de 2015, deitada na cama  e assistindo um filme com meu marido, mudei de posição e senti um incômodo na mama direita.

Ainda deitada, fiz o autoexame e descobri um nódulo do tamanho de uma moeda de um real. Mostrei ao meu marido e chegamos à conclusão de que não deveria ser nada demais, talvez algum efeito colateral da amamentação (leite empedrado????) mega ultra tardio  (sim, 1001 teorias e explicações loucas surgem!), mas eu iria à minha ginecologista para verificar.

No meu íntimo, senti que havia algo de errado e gelei. Aquele nódulo seria um divisor de águas na minha vida.

Após exames, consultas médicas, meu aniversário de 32 anos, Natal, Réveillon, momentos de angústia e inúmeras aventuras (que pretendo compartilhar com vocês num momento mais oportuno), veio a confirmação: neoplasia maligna de mama, triplo negativo.

Outubro_Rosa_G

Quando o resultado ficou pronto, o médico atendeu a um pedido meu e já passou logo a informação por telefone. Estava eu de férias, na rua mais movimentada da cidade, caminhando de mãos dadas com filho e marido. Ele confirmou o que eu já sabia. Sim, parei no meio da rua e chorei. Não poderia ser de outra forma. Tinha pesquisado muito e  o “Dr. Google” já havia apresentado bastante deste novo universo, para que eu tivesse a noção de onde estava pisando.

Mas sabem de uma coisa? Não me desesperei. Sim, a confirmação trouxe uma certa tristeza, o que é mais do que razoável. Entre o dia que achei o nódulo e este momento tive muitas incertezas, que me levaram ao desespero, mas quando confirmaram o diagnóstico percebi que as coisas eram o que eram e que eu tinha 2 opções: ou deixava o câncer me engolir ou ia à luta e o enfrentava com toda a minha garra e força.

Motivos não me faltavam, aliás, estavam de mãos dadas comigo bem naquele momento. Era hora de encarar o que tivesse que encarar, por mim e por eles.

Desde então, uma cortina caiu e passei a enxergar o mundo, a vida e as pessoas com outros olhos. E querem saber? Neste sentido o câncer foi um presente!

Não se assustem, pois explico. Sempre fui uma pessoa muito ansiosa e isso me fazia dar importância demais a inúmeras futilidades e coisas pouco importantes para justificar o tanto de desgaste. Passei a perceber uma enorme satisfação em coisas muito simples, mas na verdade muito belas.

Ganhar um alegre “bom dia, mamãe”, com 2 dedinhos gordinhos forçando a abertura do meu olho, passou a ser um momento mágico da vida (mesmo as 6 da manhã😳). Ouvir o marido dizer “você é o meu orgulho” com os olhos brilhando, eleva muito mais minha autoestima do que ouvir “você emagreceu” (mas pode dizer que emagreci, tá amor, que a célebre frase continua tendo algum valor 😜). Fofocas, opiniões bobas sobre sua vida, pequenas intrigas, mesquinharias, tudo isto se torna tão pequeno neste cenário, que perdem o sentido. Nos damos conta de que a vida é curta demais para abrir mão de ser feliz por tão pouco.

 Certas ansiedades não têm o poder de antecipar os acontecimentos futuros, já a serenidade nas ocasiões certas pode mudar positivamente o rumo dos acontecimentos. Como chamar isso? Um curso “The Flash” de amadurecimento? Não sei. Não me via capaz de ver a vida assim antes, mas o câncer mudou minha perspectiva de uma maneira impressionante.

Todos temos os nossos defeitos,  afinal somos seres humanos, mas o diagnóstico me deu um enorme estalo!

EU PRECISO VIVER mais e intensamente!

VIVER EU QUERO!!! Por mim e por aqueles que amo.

Não somos eternos e precisamos lembrar disso. Precisamos fazer a vida valer a pena, buscando preencher nosso tempo com muitas alegrias e realizações, sejam grandes ou pequenas.

Tento colocar isto em prática, respeitando as limitações impostas pelo tratamento: faço piadas; adoro dar gargalhadas, daquelas que fazem a barriga e as bochechas doerem; brinco com toda a situação; canto e danço com meu filho e sobrinhas e pago de maluca com eles; brinco como criança (com crianças e adultos) e minha mãe fica doida achando que eu vou passar mal; canto no chuveiro; falo com estranhos interessados no que estou passando  (filho, se você um dia ler isso, saiba que você não pode!😅); adoro me produzir, mas quando estou afim; curto muito a maternidade e meu casamento; leio sempre que posso; faço maratonas Netflix; curto cultura pop, como Game of Thrones e  Masterchef; quando o médico autoriza, me delicio com uma taça de vinho; digo muitos  “obrigada” para todos que são gentis comigo (e são tantas pessoas gentis); dou e recebo muito carinho; beijo e agarro meus pais (e meu filho, marido, amigos… resumindo, estou mais beijoqueira 💋💋) ; “eu te amo” se tornou uma frase muito comum, pois agora faço muita questão de que estejam cientes de que realmente os amo (mesmo quando eles ficam super constrangidos com minhas declarações de amor) e converso muito com Deus.

E os sonhos? Sonho com tudo que quero fazer quando esta fase difícil passar e mesmo enquanto ela não passa: faço planos para o futuro próximo e distante;  fico imaginando os aniversários do meu filho; sonho com viagens, com novidade, com pequenos e grandes prazeres; me imagino um dia comendo os pratos elaborados por Claude Troigros 😋 (sonhar ainda é de graça), pergunto frequentemente ao meu marido se um dia ele me leva àquele cenário lindo do filme que estamos assistindo.

Mesmo com todos os problemas trazidos pela doença, garanto a vocês que ainda sou muito feliz.

Vi no câncer uma oportunidade de ver a vida com outros olhos. Se este foi um “aviso”  da vida ou do meu corpo de que as coisas não iam bem, não quero receber outro recado. Estou pronta para acertar o passo. Quero fazer a vida acontecer.

As pessoas no meu entorno se surpreenderam com minha atitude. Colegas, amigos, pais, marido, médico, enfermeiros, terapeuta… todos me incentivaram a compartilhar esta perspectiva com outros que estivessem passando por momento semelhante, ou não. A vida merece ser vivida direito. Não vale a pena desperdiçar nossa chance, não!

Então vou tentar compartilhar com todos vocês, inclusive com aqueles que não tem uma rotina envolvendo o câncer, este novo olhar sobre o dia-a-dia.

Viver consciente de que temos que aproveitar a vida intensamente não é um privilégio de quem não está com a saúde nos seus melhores dias. A vida em algum momento acabará para todos nós. É um fato. Vamos usar esta informação a nosso favor.

 Também espero ser capaz de mostrar que um paciente com câncer não é somente uma vida de tratamentos. Há limitações impostas pelo tratamento, mas também há muita vida por aqui. Há muitas inspirações legais no caminho. Quero dividi-las com vocês.

Bora viver?

base careca fundo BRANCO  com chapeu COM LAÇO

 

Anúncios

20 comentários em “A História da Moça do Chapéu.

Adicione o seu

  1. Deus está no controle ! Mesmo na dor , há um propósito para tudo isso ! Permaneça firme com sua fé depositada NAQUELE que cuida de nós nos nos mínimos detalhes ! Deus é contigo ! Forte abraço ! #boraviver ? 💁😘

    Curtir

  2. Amei tudo isso, minha amiga guerreira, inspiradora .. Estou encantada …
    Cada detalhe nos mostra que a vida está aí para ser vivida … Todos os dias .. Com muita fé e coragem ..
    Beijos

    Curtido por 1 pessoa

  3. Comecei seguindo pelo instagram sou a @valquiria_santana, recentemente vi os videos e cheguei ao blog. Acredito muito no poder da nossa fé, acredito no poder dos remédios, dos procedimentos, mas acredito também no poder do pensamento. Do acreditar, visar sobre nós como um todo. Não é fácil o diagnostico de câncer, até porque é um diagnóstico que assusta, mas depois do baque do diagnostico é consegui almejar a cura. Parabéns por esse espirito guerreiro e batalhadora que vc tem por você e por sua família. Deus continue te abençoando.

    Curtir

  4. Lindo Day! Quero me inspirar em pessoas como você, que mesmo com muitas dificuldades escolhem viver da melhor forma que puderem, e não apenas sobreviver ao que a vida nos impõe. Desejo toda sorte, sabedoria e bênção que Deus puder dar à você e sua família e que você possa viver a vida com toda a intensidade que ela merece ser vivida.
    Dá uma passadinha aqui no meu Blog, acho que poderemos nos inspirar.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: